Ano Europeu Património Cultural: Elevada adesão de Portugal elogiada na Cimeira de Berlim

Mais de 1200 iniciativas programadas até à data fazem de Portugal um dos três países com maior adesão ao Ano Europeu do Património Cultural (AEPC), a par da Alemanha e da Irlanda, segundo dados avançados hoje na sessão de abertura da Cimeira do Património Cultural Europeu, que decorre em Berlim, Alemanha, até 24 de junho.

A referência à elevada participação da sociedade civil portuguesa foi feita pelo Comissário Europeu para a Educação e Cultura, Tibor Navracsics. Nesta Cimeira, Portugal está representado pelo ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, pela diretora-geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, e pelo coordenador nacional do AEPC, Guilherme d’Oliveira Martins.

A mobilização nacional traduz-se, à data, em mais 1200 iniciativas que envolvem cerca de 350 mil participantes. Os eventos, que têm estado a ser inseridos a um ritmo diário na Plataforma onlinedisponibilizada pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), distribuem-se por 83 municípios de todo o país. Como este é um programa aberto e em permanente atualização, será possível inscrever atividades até 31 de dezembro de 2018.

Na ampla oferta registada até ao momento destacam-se 334 visitas livres/orientadas e rotas patrimoniais, 252 encontros e congressos, 185 exposições, 146 ateliers, 135 espetáculos e muitas outras iniciativas como lançamentos de publicações, festivais, campanhas de informação, animações de rua, concursos, recriações históricas, atividades de investigação, projetos digitais, documentários/filmes e sessões de leitura.

Sob o lema “Partilhando Património – Partilhando Valores”, a Cimeira do Património Cultural Europeu é considerada pela UE como um dos eventos públicos principais do AEPC, contando com o apoio do programa Europa Criativa. O seu objetivo é envolver e mobilizar entidades públicas e privadas para uma “ambiciosa” Agenda do Património Cultural Europeu.