Arranque oficial do Ano Europeu do Património Cultural no Fórum Cultural Europeu, em Milão

No âmbito do Fórum Cultural Europeu 2017 o comissário europeu responsável pela Educação, Cultura, Juventude e Desporto, Tibor Navracsicsfoi, abriu oficialmente o Ano Europeu do Património Cultural, tendo afirmado que «O património cultural está no cerne do modo de vida europeu. Define quem somos e cria um sentimento de pertença. O património cultural não é apenas composto por literatura, arte e objetos, mas também pelas competências aprendidas, as histórias contadas, os alimentos que consumimos e os filmes que vemos. Precisamos de preservar e apreciar o nosso património cultural para as gerações futuras. Este ano de comemorações será uma magnífica oportunidade para encorajar os cidadãos, em especial os jovens, a explorar a riqueza da diversidade cultural europeia e a refletir sobre o lugar que o património cultural ocupa nas nossas vidas. Permite-nos compreender o passado e construir o futuro.».

Estiveram presentes na cerimónia o Presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, o Ministro da Cultura estónio, Indrek Saar, em representação da Presidência estónia do Conselho da UE, o Ministro da Cultura italiano, Dario Franceschini, a Presidente da Comissão da Cultura e da Educação do Parlamento Europeu, Petra Kammerevert, e 800 representantes do setor cultural da UE e da sociedade civil.

O objetivo do Ano Europeu do Património Cultural é sensibilizar para a importância social e económica do património cultural. Milhares de iniciativas e eventos em toda a Europa darão a possibilidade de envolver cidadãos de todas as origens. O objetivo é alcançar um público tão vasto quanto possível, em particular as crianças e os jovens, as comunidades locais e as pessoas que raramente têm contacto com a cultura, a fim de promover um sentimento comum de apropriação.

Projetos e iniciativas implementados nos Estados-Membros da UE, nos municípios e regiões serão complementados por projetos transnacionais financiados pela UE. Por exemplo, a Comissão vai organizar, com os Estados-Membros, as «Assises du Patrimoine» (Jornadas do Património) como um evento emblemático do Ano Europeu do Património Cultural, a fim de lançar os trabalhos para um Plano de Ação da UE a longo prazo para a Cultura e o Património Cultural. Esta iniciativa constituirá um seguimento dos debates dos líderes da UE sobre educação e cultura, que tiveram lugar em Gotemburgo, em 17 de novembro.

De acordo com um novo inquérito Eurobarómetro hoje publicado, 8 em cada 10 europeus consideram que o património cultural é importante, não apenas para si pessoalmente, mas também para a sua comunidade, a sua região, o seu país e a União Europeia no seu conjunto. Uma grande maioria tem orgulho no património cultural, quer seja na sua própria região ou país, ou noutro país europeu. Mais de 7 em cada 10 europeus também concordam que o património cultural pode melhorar a sua qualidade de vida. O inquérito mostra ainda que 9 em cada 10 pensam que o património cultural deve ser ensinado nas escolas. Três quartos dos europeus pensam principalmente que os Estados-Membros e a UE deveriam atribuir mais recursos à salvaguarda do património cultural da Europa.

Dos sítios arqueológicos à arquitetura contemporânea, dos castelos medievais às tradições folclóricas e às artes, o património cultural da Europa está no âmago da memória e da identidade coletivas dos cidadãos europeus. Além disso, o património cultural é uma fonte de crescimento e de emprego nos municípios e regiões da Europa e é fundamental para o intercâmbio com o resto do mundo. 7,8 milhões de postos de trabalho na UE estão indiretamente ligados ao património (por exemplo, no setor do turismo, da interpretação e da segurança). Mais de 300 000 pessoas trabalham no setor do património cultural da UE, representando a Europa, enquanto região, quase metade da Lista do Património Mundial da UNESCO, graças aos seus 453 sítios inscritos.

Foi por isso, e também porque alguns dos tesouros do património cultural estão atualmente ameaçados ou a ser destruídos deliberadamente em zonas de conflito, que a Comissão considerou que o património cultural merecia um ano europeu em 2018. A Decisão do Conselho e do Parlamento Europeu no sentido de designar 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural foi adotada em 17 de maio de 2017, com base na proposta da Comissão de 30 de agosto de 2016.

O Fórum Europeu da Cultura, onde foi lançado o Ano Europeu do Património Cultural, é um evento emblemático bienal organizado pela Comissão Europeia. Aumenta a visibilidade da cooperação cultural europeia, reúne os principais intervenientes do setor, faz o ponto da situação relativamente à Agenda Europeia para a Cultura e promove o debate sobre a política e as iniciativas da UE na área da cultura. Para além do lançamento do Ano Europeu do Património Cultural 2018, o Fórum deste ano refletiu sobre o papel da cultura para enfrentar desafios europeus e mundiais, bem como sobre o contributo da cultura e da criatividade para o desenvolvimento socioeconómico local e regional.